domingo, 30 de maio de 2010

Marca adolescente = AGSK8




A geração atual de pré adolescentes/adolescentes desde muito acompanha a tecnologia. Seus interesses são múltiplos e acontecem todos ao mesmo tempo.

Rapidamente incorporam novas linguagens e, com isto, vão se aperfeiçoando diariamente, ultrapassando limites, conquistando espaços próprios.

O blog www.agsk8boss.blogspot.com é editado por um quase adolescente muito esperto de apenas 11 anos.

Os temas, de música heavy metal a skate ou vídeos engraçados, tudo está lá.

Acompanhe! Vale a pena ver e comparar com o nosso desempenho nessa mesma época da vida.

http://www.agsk8boss.blogspot.com/




---------------------------------------------
desenhos do artista José Aguiar, no blog homônimo

sábado, 29 de maio de 2010

Propaganda pouco comum para coisas comuns

Grandes marcas comumente adotam os atributos emocionais e de auto-expressão na sua comunicação. Marcas seguidoras da líder tendem a usar atributos funcionais (Aaker, 2007).

Quando uma grande marca resolve enfocar os atributos funcionais na propaganda, deve tomar o cuidado de fazê-lo com qualidade idêntica exigida nas suas grandes produções institucionais.

É o que ocorre no novo filme da Mercedes E class, “Sorry”. Veja abaixo como resolveram de forma esplêndida um aspecto absolutamente rotineiro do seu segmento: o de sistema de freios.


video

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Como vender lixo sem ser carroceiro

Há dez anos, o designer Justin Gignac discutia com amigos a importância da estética na embalagem. Não conseguindo convencê-los, radicalizou: disse que venderia às pessoas algo que elas não quisessem comprar, basicamente em função da embalagem.

O problema é que não sabia o quê vender. Olhou para Nova York e encontrou a resposta: lixo.

Apanhando coisas do chão, colocou em caixas únicas, sem cheiro, assinadas e datadas, sendo uma peça de recordação da cidade. Iniciou cobrando U$ 10 e hoje cobra U$ 50. Já está lançando, inclusive, edições especiais, com o lixo vindo de locais como os da virada do ano em Times Square ou de um jogo dos Yankees. Acompanhe nas fotos a seguir.

Apesar de ter convencido seus amigos, uma visão um pouco mais técnica de Marketing diria que as pessoas é que esperam da capital do mundo, coisas inusitadas, diferentes, únicas.

Não importa muito se é lixo em caixa acrílica, radiografia vendida em feira ou roupa de grife vendida na calçada: o que o turista quer é voltar e mostrar aos seus amigos algo que não obteria em outro lugar do mundo. É a experiência, tão difundida na literatura por Bernd Schmitt (1999).

sexta-feira, 14 de maio de 2010

O apelo das grandes marcas

Grandes marcas possuem apelo. Na venda ou na compra do seu conceito.

Recentemente, a francesa Louis Vuitton reuniu Pelé, Zidane e Maradona para serem fotografados por Annie Leibovitz.

Não é tão simples conseguir um nome como o de Pelé, por exemplo, para dar testemunho à uma marca. Reunir três imortais ao mesmo tempo, então, caso raro. E se eles não recebem por isto, é a glória (o cachê foi doado para o trabalho ambiental de Al Gore, The Climate Project).

O conceito da campanha é “Valores Essenciais”, que também já teve Sean Connery como fotografado. Veja o anúncio abaixo, que será veiculado em junho10.

Inteligentemente, às vésperas da Copa 2010, a Louis Vuitton gravou um conversa entre os três onde discutem a carreira, falam de grandes jogadas e partidas inesquecíveis. Ao final, se desafiam para uma partida de futebol de botão. Acompanhe no site louisvuittonjourneys.com.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Marcas que se constroem com base na inteligência

Assim como grandes marcas foram construídas graças às pessoas que capitanearam o seu crescimento, como Richard Branson e a Virgin ou Steve Jobs e a Apple, empresas menores também podem se beneficiar do capital humano para a construção da marca.

Pequenas ideias podem se transformar em grandes marcas basicamente pelo uso da inteligência, tanto no produto quanto na comunicação (DAVIS, 2006; KAPFERER, 2004).

Para quem é baladeiro e demora um pouco mais para encontrar o buraco da fechadura, foi desenvolvido um sistema para acertar a chave com mais facilidade.

O designer Junjie Zhang inventou uma fechadura batizada de V Lock (fechadura em “v”), que utiliza um sistema de funil. A abertura maior dá acesso ao buraco da chave. Assim, o festeiro pode introduzir a chave na fechadura normalmente ou posicioná-la na abertura maior e apenas escorregar para a posição correta.