sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Marcas com (muita) força


O presidente Lula esteve no 26o. Salão do Automóvel de São Paulo.

Comentou sobre o Brasil já ser o 4o. maior produtor de automóveis no Mundo, atrás de apenas de Japão, China e EUA. Tudo ao lado de uma Ferrari 458 Italia.

Poderia ser junto à Bugatti, muito mais cara e poderosa; poderia ser junto à Citroën, muito mais estilosa; poderia ser junto à Bentley, Koenigsegg ou do brasileiro Vorax.

Mas foi ao lado da Ferrari.
Sob qualquer ponto de vista, sempre chama a atenção. Por mais modernos, mais bonitos ou mais potentes que sejam seus concorrentes, sua grande força ainda é a marca.



sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Propaganda de oportunidade: quando inteligente, é ótima!


Algumas campanhas publicitárias são exageradamente oportunistas, se aproveitando de um momento específico de forma nem sempre devida.

Excetuando aquelas que são próprias para a ação, como Natal, Copa do Mundo ou Dia das Mães, às vezes os comerciais ou anúncios de oportunidade são realmente intragáveis, pelo mau gosto ou falta de educação.

O comercial a seguir é de oportunidade, e totalmente correto: se aproveita do fato da eleição estar "na boca" e faz um questionamento bastante oportuno a todos nós.

Acompanhe e pense!



video

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Extensão de marca: muitas possibilidades, negócio único


Best Friends é um hotel de alto padrão para animais.

Existem muitos no mundo. Mas este é da Disney e foi construído ao lado do parque. E isto muda tudo.

Cães, gatos, coelhos e outros animais pequenos têm atividades variadas: (voltinha a US$ 8); leitura para dormir (US$ 10); webcam para o dono (incluso no valor de US$ 69 da suíte VIP), dentre outras.

Tudo para que os proprietários continuem felizes e despreocupados enquanto se divertem no parque.

É uma extensão das atividades primárias da Disney, cujo conceito do negócio é simples de dizer e difícil de fazer: pessoas felizes.







* foto de abertura de ErikJohansson, encontrado em blog

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Negócios à base de marcas


O Burger King foi comprado por empresários brasileiros, os mesmos controladores da Anheuser-Busch InBev e Lojas Americanas.

Fato conhecido. Desconhecido é o raciocínio deles para a compra, visto que o Burger King representa 20% dos negócios do McDonald´s. Para os padrões deles, um negócio pequeno.

No primeiro pronunciamento público dos controladores após a compra, em um evento em São Paulo nesta 4a. feira, a frase que explicou o negócio foi: "O Burger King é uma marca muito maior que o negócio. O desafio é descobrir por quê e encurtar esse gap".

Mesmo para empresários cuja fama se deu em função do rigor nos números, do planejamento estratégico e da auditoria constante, a marca é o grande trunfo a ser administrado.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Testemunhal: lucro ou prejuízo para a marca


O uso de testemunhal na propaganda não é prática nova.

É, na verdade, uma forma fácil de persuadir o consumidor; ao testemunhar, pessoas influentes da mídia transformam a opinião dos compradores.

O perigo, sempre rondando, é o contratado se envolver em situações negativas (Suzy Rego-Le Postiche nas baladas ou Adriano-Ale e a então noiva, ambos na vida real).

A atividade de patrocínio já está tão madura que a vida irreal já se torna real. Foi veiculado hoje na FolhaSP que a poderosa Globo se pronunciou junto ao patrocinador master Goodyear, garantindo que o ator Marcelo Antony não faria ações ilegais na novela Passione, onde é piloto da StockCar e viciado em algo no computador.

É a arte imitando a vida.