sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Propaganda para quê?

Algumas marcas independem do esforço publicitário.

A Lamborghini lançou no Brasil o Aventador LP700 que leva você a 320 km por pouco mais de R$ 2,8 milhões. Para os apressados, de 0 a 100km em 2,9 segundos.

Antes mesmo do lançamento oficial em São Paulo, a Lamborghini já tinha vendido sete unidades. Nenhuma propaganda, apenas o desejo pela marca.

O comercial oficial do carro (acompanhe abaixo), embora bem produzido nada tem de criativo. Aliás, a mesma cena já foi vista para o lançamento de vários outros carros. E daí?


video

sábado, 19 de novembro de 2011

Novas mídias para velhos produtos


A chamada comunicação integrada pede que as mídias se conversem e que as ações sejam complementares, muitas vezes unas.

A agência de comunicação G&M Plumbing conectou a coqueluche midiática do momento, o facebook, com uma mídia tradicional, o outdoor, em uma ação para o seu cliente Robbins Brothers, da Califórnia.

A ação consiste do lançamento de outdoors exibindo mensagens postadas por clientes no facebook da empresa. O carro-chefe de vendas da joalheria Robbins é a aliança de casamento, o que auxilia a ação a ter sucesso.

As mensagens são exibidas por 8 segundos um dia após a postagem, que também é enviada por e-mail ao autor (veja abaixo).

Um produto absolutamente tradicional sendo comunicado de maneira realmente moderna.



sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Sustentabilidade para auxiliar a imagem

Pequenas contribuições podem fazer um bem enorme à marca.

A Coca-Cola apresentará uma embalagem de água mineral lançada pela empresa no Japão, em 2009: a Crystal Eco.

Ela tem uma tampinha menor com 0,8 gramas a menos de polipropileno que as anteriores, adota a tecnologia PlanBottle, que usa 30% do PET feito a partir da cana-de-açúcar (o restante é convencional, fabricado a partir de petróleo), e tem espessura e peso menores, reduzindo o consumo de PET por garrafa em 20%. Assim, a garrafa pode ser torcida antes de ser enviada para a reciclagem, apresentando um volume 37% menor (vide abaixo).

Como uma parte das pessoas precisa carregar seu lixo reciclável até os pontos de coleta em sacolas enormes, o fato de ter garrafas menores pode estimulá-las a apoiar o esforço de reciclagem.

É um esforço pequeno, mas para uma organização que constantemente é atacada por ter o principal produto como malfeitor da saúde, é um passo gigantesco para a melhoria da imagem.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Gerações e o lançamento de produtos

A geração Y (nascidos entre 1977 e 1996) e a geração X (nascidos entre 1965 e 1976) apresentam muitas diferenças. As que mais impactam o lançamento de novos produtos e suas marcas são a rapidez e ansiedade de um (Y) e o enfoque no planejamento do outro (X).

O podcast foi uma ferramenta que surgiu ao mesmo tempo que o blog. E o comentário geral era de que o substituiria por apresentar a voz do autor. No espaço de um texto amplo, uma narração.

A geração Y embarcou rapidinho. E desembarcou com a mesma rapidez. A geração X, mais acostumada a planejar, mensurar e comparar, preferiu aguardar. E nem chegou a conhecer.

Hoje é um produto morto. E os produtos para a geração Y (e também para a Z, posterior) serão lançados desta maneira: gratuitos, uma grande quantidade nem chegará à maturidade, e os que chegarem, possivelmente terão um ciclo de vida curto, se comparados aos produtos tradicionais.










desenho de Montanaro, encontrado por meio do Google