terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Marcas interativas


O último post do ano tem que representar a cara do que foi 2010 para o Marketing: interatividade, redes sociais, marcas fortes.

A Batelco, uma empresa de telecomunicações de Bahrein, trouxe para o facebook uma ação denominada Epic Batelco Experience.

Seu objetivo foi a relação com as pessoas e os seus sonhos. E a aproximação da marca com o dia-a-dia de cada um.

O filme Infinity, a seguir, é sensacional pela produção (cara! absurdamente cara!) e tem alta carga emocional.

video

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Ponto de contato com a marca: importante, sempre!


O Google basicamente é igual desde quando começou.

Afora o fato óbvio da maior quantidade de informações, suas alterações mais visíveis ocorrem nos denominados doodles, o formato de mostrar datas específicas na abertura da página, usando normalmente as 6 letras google de forma estilizada.

Neste Natal, cinco artistas fizeram 17 desenhos que representam o Natal pelo mundo. E cada desenho, quando clicado, leva a uma busca diferente: do Monte Fuji e da Muralha da China até a uma receita de rocambole francês ou a lâmpadas natalinas árabes.

Embora pouco importante para a avaliação dos atributos funcionais do serviço de busca, é um interessante ponto de contato da marca com o seu usuário. Por isto, a empresa possui até um departamento criativo de doodles.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Trabalho para valorizar a marca


O facebook foi eleita a melhor empresa para se trabalhar nos EUA, segundo o site GlassDoor, especializado em carreiras.

A pesquisa ocorre através de um fórum de discussões, onde os funcionários da própria empresa dão notas para diversos quesitos. Foi realizada com 150 mil pessoas durante 2010, somente com empresas acima de 500 funcionários.

Este reconhecimento, contrário ao que se vê no filme (ambiente de hipercompetição), valoriza ainda mais a marca e coloca a empresa naquelas denominadas de "objeto de consumo" do executivo interessado em mudar de emprego.



sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Mensagem subliminar, marca real


A discussão sobre propaganda subliminar é extensa e muita gente a confunde com mensagem não dita.

Não é preciso dizer que o Bugatti Veyron é mais rápido do que o Audi R8, em um comercial com cenas de ambos os carros na pista. O piloto, ao final do teste, olha com descaso para o R8, confirmando a superioridade do Bugatti. Foi sutil e preciso. Mas não é subliminar.

A BMW trouxe uma peça realmente de contexto subliminar.

No comercial veiculado em cinemas, o piloto de superbike da marca pede aos espectadores que fechem os olhos no final da transmissão. As alemãs Serviceplan (agência) e Embassy of Dreams (produtora) criaram a intervenção colocando flashes que projetavam o logotipo da BMW. Acompanhe o making of da ação, abaixo.

Os espectadores ficaram fascinados, pois a marca ficou dentro da cabeça deles. Literalmente. Executivos de Marketing sempre sonham com posicionamento duradouro. Os alemães conseguiram.

video

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Marcas de autos mais vendidas no mundo


Saiu a relação das marcas de montadoras de automóveis de passeio mais vendidas no mundo.

São elas: Toyota, VW, Ford, GM, Honda, Nissan, Hyundai, Fiat, Renault e Kia.

Apesar de ter virado lugar-comum dizer que os automóveis dos japoneses, chineses ou coreanos dominam o mundo, é interessante observar que, mesmo com o primeiro lugar, os carros orientais não dominam amplamente a lista. Das cinco primeiras posições, três são ocidentais.

Chama a atenção também o fato de a maior planta fabril automobilística desde sempre, a americana, só ter duas marcas presentes na lista.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Ações incrementais e radicais para a marca

A Samsung tem seguido de perto os passos da Apple. Seja com tablet, celulares ou tocadores de MP3, ela busca conquistar um segmento que entende de tecnologia, mas que prescinde da mágica da marca da maçã platinada.

A coreana, no.1 em eletro-eletrônicos no mundo, tem adotado formas alternativas para elevar seu brand awareness. O Galaxy Tab, por exemplo, sua proposta concorrente ao iPad, foi o tópico do twitter mais comentado durante o seu lançamento, em setembro.

Mesmo assim, um dos seus grandes momentos na comunicação global foi obtido com uma ação tradicional de propaganda, o comercial com Ozzy Osbourne para celular, há dois anos (vídeo abaixo).

Ele trouxe um novo patamar de visibilidade para a Samsung. Este é um enfoque interessante: consistentemente empreender atividades alternativas de Marketing e, vez por outra, lançar uma peça publicitária radical.

video

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Alô? Quem está falando?


Com quase 195 milhões de celulares (e ainda nem fechou o ano), o Brasil ocupa o quinto lugar na quantidade de celulares em operação, atrás de China, Índia, Estados Unidos e Rússia.

Já existem mais celulares do que pessoas no país. Em Santa Catarina, também (são 12 os estados que superam um celular por habitante). Haja vontade de se comunicar!

Em relação às marcas, não houve mudança na ordem das maiores: a Vivo continua na liderança do mercado (30,03%, com 58.397.402 linhas em operação), a Claro manteve-se na segunda posição (participação de 25,58%), em terceiro a TIM (com 24,67%) e em quarto lugar a Oi (com 19,35% de participação).


sexta-feira, 12 de novembro de 2010

O descuido com a marca pessoal


Muitas pessoas famosas dão o seu testemunho às marcas das organizações. É uma atividade comum, embora considerada pelos publicitários como "simplória e de resultado previsível".

A campanha estrelado por Reinaldo Gianechinni para determinado centro comercial é hilária: "...shopping Pinto: o que você mais gosta no lugar que você sempre quis...". Parece piada. Se você é um daqueles poucos que ainda não viu, acompanhe o filme original no endereço ao final do post.

É de se imaginar que argumentos teria usado a agência de comunicação para convencer um artista global a entrar nessa fria...
Em pouco tempo, óbvio, surgiu uma versão fazendo piada com o trocadilho e com o ator. Acompanhe no vídeo hilário abaixo.

Endereço para o comercial original:

http://www.youtube.com/watch?v=3D17p-qyMOQ


video

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Produtos com marca e sem marca


De acordo com o presidente Lula, que aparece pela segunda vez neste blog, chegou o momento de commodities serem mais valiosas do que bens ou serviços com marca.

Ele disse isto na formatura dos novos diplomatas brasileiros se referindo ao fato "...de que o mundo precisa de comida e o Brasil é que tem a competência de produzir mais comida".

Obviamente, também é uma resposta aos críticos de anos atrás que diziam que o Brasil estava perdendo o trem do progresso por não exportar produtos de alto valor e sim commodities.

O fato relatado pelo presidente é pontual, serve para esta ocasião. Nem ele nem ninguém consegue imaginar um mundo em que um bem que se diferencie positivamente dos demais valha menos.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Marcas com (muita) força


O presidente Lula esteve no 26o. Salão do Automóvel de São Paulo.

Comentou sobre o Brasil já ser o 4o. maior produtor de automóveis no Mundo, atrás de apenas de Japão, China e EUA. Tudo ao lado de uma Ferrari 458 Italia.

Poderia ser junto à Bugatti, muito mais cara e poderosa; poderia ser junto à Citroën, muito mais estilosa; poderia ser junto à Bentley, Koenigsegg ou do brasileiro Vorax.

Mas foi ao lado da Ferrari.
Sob qualquer ponto de vista, sempre chama a atenção. Por mais modernos, mais bonitos ou mais potentes que sejam seus concorrentes, sua grande força ainda é a marca.



sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Propaganda de oportunidade: quando inteligente, é ótima!


Algumas campanhas publicitárias são exageradamente oportunistas, se aproveitando de um momento específico de forma nem sempre devida.

Excetuando aquelas que são próprias para a ação, como Natal, Copa do Mundo ou Dia das Mães, às vezes os comerciais ou anúncios de oportunidade são realmente intragáveis, pelo mau gosto ou falta de educação.

O comercial a seguir é de oportunidade, e totalmente correto: se aproveita do fato da eleição estar "na boca" e faz um questionamento bastante oportuno a todos nós.

Acompanhe e pense!



video

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Extensão de marca: muitas possibilidades, negócio único


Best Friends é um hotel de alto padrão para animais.

Existem muitos no mundo. Mas este é da Disney e foi construído ao lado do parque. E isto muda tudo.

Cães, gatos, coelhos e outros animais pequenos têm atividades variadas: (voltinha a US$ 8); leitura para dormir (US$ 10); webcam para o dono (incluso no valor de US$ 69 da suíte VIP), dentre outras.

Tudo para que os proprietários continuem felizes e despreocupados enquanto se divertem no parque.

É uma extensão das atividades primárias da Disney, cujo conceito do negócio é simples de dizer e difícil de fazer: pessoas felizes.







* foto de abertura de ErikJohansson, encontrado em blog

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Negócios à base de marcas


O Burger King foi comprado por empresários brasileiros, os mesmos controladores da Anheuser-Busch InBev e Lojas Americanas.

Fato conhecido. Desconhecido é o raciocínio deles para a compra, visto que o Burger King representa 20% dos negócios do McDonald´s. Para os padrões deles, um negócio pequeno.

No primeiro pronunciamento público dos controladores após a compra, em um evento em São Paulo nesta 4a. feira, a frase que explicou o negócio foi: "O Burger King é uma marca muito maior que o negócio. O desafio é descobrir por quê e encurtar esse gap".

Mesmo para empresários cuja fama se deu em função do rigor nos números, do planejamento estratégico e da auditoria constante, a marca é o grande trunfo a ser administrado.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Testemunhal: lucro ou prejuízo para a marca


O uso de testemunhal na propaganda não é prática nova.

É, na verdade, uma forma fácil de persuadir o consumidor; ao testemunhar, pessoas influentes da mídia transformam a opinião dos compradores.

O perigo, sempre rondando, é o contratado se envolver em situações negativas (Suzy Rego-Le Postiche nas baladas ou Adriano-Ale e a então noiva, ambos na vida real).

A atividade de patrocínio já está tão madura que a vida irreal já se torna real. Foi veiculado hoje na FolhaSP que a poderosa Globo se pronunciou junto ao patrocinador master Goodyear, garantindo que o ator Marcelo Antony não faria ações ilegais na novela Passione, onde é piloto da StockCar e viciado em algo no computador.

É a arte imitando a vida.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Avaliar imagem: cada vez mais difícil

É comum as organizações avaliarem a imagem que o consumidor tem da marca como sendo a mesma que lhe foi proposta.

Porém, a despeito do trabalho corretamente feito na construção da sua identidade, o mercado pode entender de outra maneira ou nem entender a proposição da marca.

Um grande volume inicial de vendas ou algumas reportagens em revistas, podem fazer a empresa dar-se por satisfeita, não identificando as minúcias do comportamento do consumidor quando o assunto é percepção de marca.

O filme a seguir demonstra isto: para o programador musical da rádio, todos estão cantando a música alegremente, entendendo o que está se passando. Mas basta um nível de inglês de 2o. grau para se compreender o equívoco da família.
video

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Marcas mais valiosas de 2010

O ranking 2010 da Interbrand foi publicado.

Dentre as dez primeiras marcas, somente a entrada da HP alterou a lista em relação ao ano passado.

Confira a posição e o valor das marcas em US$:


1 - Coca-Cola (70,4 bi)

2 - IBM (64,7 bi)

3 - Microsoft (60,8 bi)

4 - Google (43,5 bi)

5 - GE (42,8 bi)

6 - McDonald’s (33,5 bi)

7 - Intel (32 bi)

8 - Nokia (29,4)

9 - Disney (28,7)

10 - HP (26 bi)

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Marcas pedem: lembrem sempre de mim


Marcas se ressentem quando não são lembradas. O esquecimento, a frieza ou mesmo a indiferença são fatais para o seu sucesso.

Algumas delas têm sua comunicação adaptada para outras situações que não as originalmente planejadas. Normalmente, isto é um problema para a marca (o jogador Gérson se ressente até hoje, passados mais de 20 anos, do bordão "levar vantagem em tudo").

Algumas vezes, fica melhor do que o original. A seguir um exemplo, em forma de piada com o texto publicitário, que correu a internet durante um período.

--------------------------

Duas crianças de oito anos conversam no jardim e o menino pergunta à menina:

- O que você vai pedir no Dia das Crianças?

- Eu vou pedir uma Barbie. E você?

- Eu vou pedir um OB! responde o menino.

- OB?! O que é isto?

- Nem imagino... mas na televisão dizem que com OB a gente pode ir à praia todos os dias, andar de bicicleta, andar a cavalo, dançar, ir ao clube, correr, fazer um montão de coisas, e o melhor... sem que ninguém perceba!

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Pertinência nas mensagens publicitárias

Perder a piada ou perder o amigo?

Quantas vezes já nos fizemos esta clássica pergunta? E a resposta nem sempre é a mesma.

Uma marca deve fazer questionamentos constantes quanto à pertinência das suas ações mercadológicas.

Mesmo uma piada corriqueira, que já não gera mais qualquer tipo de reação, pode tomar vida própria e revitalizar-se, causando desconforto para algumas classes e jogando fora todo o esforço de branding já realizado.

O filme a seguir é um destes casos. De acordo com as fontes apuradas, ele não foi ao ar comercialmente, apenas em circuito fechado. Mas foi criado e produzido, logo, aprovado.
Desenho obtido no blog Viva Mairi


video

sábado, 28 de agosto de 2010

Promessa para as marcas: melhor cumprir

Algumas marcas têm prometido mais do que cumprem. No longo prazo, isto é fatal para a sua sobrevivência. Porém, à custa da crença das pessoas na publicidade, a marca se desenvolve e, não fossem órgãos fiscalizadores, manteriam seu sucesso.

No Brasil, as chamadas pulseiras bioquânticas terão suspensas suas propagandas por força da ANVISA. A original, americana, atende pelo nome de Power Balance e a brasileira é a Life Extreme.

Estas pulseiras prometem equilibrar e ativar a circulação sanguínea por meio da “otimização da fluência energética natural do corpo” (site da PB).

Chamados pela Folha de São Paulo, um professor de física e um de educação física deram pareceres semelhantes: “é charlatanismo quântico” e “não há explicação científica para isso. Holograma não emite onda”.

Marcas podem se tornar perenes, mas nunca imunes à enganação.





sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Todos se rendem ao poder das marcas

Quando uma marca se transforma em objeto de desejo, resultados surpreendentes podem acontecer.

A Apple, que tomou a ponta na indústria tecnológica, com valor aproximado de US$ 221 bi, é uma marca que ultrapassa constantemente seus limites: mesmo sem ter os produtos mais avançados, em um setor onde isto é o que interessa, consegue fila de espera por eles.

Em recente entrevista no “Larry King Live (CNN), em companhia do seu pai, até Bill Gates se rendeu ao fascínio da marca: “A Apple teve a mesma visão da Microsoft, a de criar produtos de baixo custo que fossem fáceis de usar”.

Não por coincidência a visão da Apple é “O homem não deve se submeter às máquinas”.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Promoção que prova o que promete


As panelas da marca Supor prometem ao consumidor serem antiaderentes: o alimento fica soltinho, sem grudar no fundo.

Para provar sua eficiência, montaram um half pipe em Xangai, tendo o cuidado e a criatividade de colocar uma foto gigante da panela na frente.

Isto fez com que as pessoas vissem camarões, filés de peixe e vegetais saltando na panela, dando a impressão esperada: a Supor é antiaderente. As fotos a seguir e o vídeo comprovam.

A ação foi estrategicamente pensada para que os consumidores "experimentassem" o produto, o que no Brasil denominamos comumente de ação de sampling.

video

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Promover o inusitado por meio do óbvio

Um carro esportivo sempre chama a atenção. Se for das fórmulas 1 ou Indy, é notícia na certa.

Uma sofisticada loja de louças de Toronto colocou um carro de Fórmula Indy em frente às suas vitrines, aproveitando a passagem do evento pela cidade.

Já sendo inusitado o fato de conectar louça com corrida, se tornou ainda mais atraente pelo fato do carro estar sobre uma xícara de chá. Fotos a seguir. Impressionante!

O uso da inteligência, do conhecimento de aspectos da Física e alto senso de oportunidade, permitiram à loja se tornar notícia antes e depois do evento.

E a marca se consolidando como inovadora, mesmo trabalhando com bens tradicionais.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Logomarcas: sempre há uma nova para discutir

Tem feito sucesso na internet a versão de um chargista para a logomarca da Copa 2014, com base nos resultados do time brasileiro na Copa de 2010. Desconsidere os erros gramaticais.

De origem desconhecida, ela provoca tensão em quem a olha. Interessante!

A marca da Copa no Brasil teve um júri especialista (!?!) composto de Ivete Sangalo, Paulo Coelho e Gisele Bundchen, dentre outros.

As reações contrárias, manifestadas em constantes enquetes em jornais e revistas, provam que logomarcas tendem a ser criticadas por pessoas de qualquer parte do mundo.

O desenvolvimento de uma logo é cada vez mais um trabalho para especialistas.

É o primeiro contato entre o comprador e o produto.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Espaços menos nobres para ações eficazes

No post passado, os espaços para estratégias de Marketing foram enfocados.

Neste, o tema permanece, mas com atenção para ações menos caras.

Aproveitando o fato de Toronto estar sediando uma etapa de F Indy, um pub instalou em seu washroom um painel em cima do mictório alusivo ao evento.

Quando o usuário se aproximava dele, um rugido alto, semelhante ao do motor de um carro de corrida iniciava, ficando ativo por aproximadamente 20 segundos.

Uma ação interessante, relativamente barata e obviamente eficaz.

Acompanhe na foto.


sexta-feira, 16 de julho de 2010

Espaço: um novo desafio para o Marketing

Encontrar espaços para divulgação das marcas é um desafio. Não qualquer espaço, mas um ótimo espaço, daqueles que diferenciam as marcas das concorrentes.

Nas grandes cidades, a dificuldade é ainda maior, por conta do custo elevado e da escassez.

Em Toronto, é comum encontrar soluções interessantes para isto.

Uma delas é o uso da fachada do mezzanino dos edifícios em ruas movimentadas, utilizado normalmente para estacionamento, como um grande outdoor.

Marcas famosas como Porsche, cerveja italiana Peroni e Puma, na foto a seguir (a Puma Concept, na Bloor Street, é uma das lojas embaixo do outdoor).